Páginas

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Não Somos Dois


Paro no tempo imaginando nós dois, sonho acordada...
Como gostaria que esse sonho fosse real e existisse de fato nós dois, nós dois e nós dois, mas nesse nosso caso um mais um não é dois, pois não existe nós dois, existe eu e você, com todas as diferenças, com objetivos definidos e que moram aproximadamente 2.325 Km de distância em linha reta, e nunca vai existir nós dois no sentido real, mas, apenas nos meus sonhos, delírios e noites nostálgicas.
Não irá existir nós dois, nem nesta vida, e muito menos em outras vidas se caso eu acreditasse em reencarnações. Nós dois seriamos um colapso se colocássemos todas as nossas energias acumuladas e juntássemos em um só lugar. Vi em você um pedaço de mim, mesmo a gente sendo diferente, vi em você minha metade e também meu oposto, vi em você algumas atitudes minhas e não minhas. Você tem tudo que eu amo e odeio em um homem, por isso que é tão “eu” e ao mesmo tempo não é, por isso que eu te amo e não te amo e por isso que podemos ser dois em um, ser nós dois juntos, mas, ao mesmo tempo não podemos e passamos apenas a ser eu e você priorizando as nossas escolhas e tomando direções que não nos leva a somar e passamos a dividir o mesmo mundo de forma separada.
Sim, é no silêncio da noite que viajo até você e com a luz apagada penso no que você está fazendo, pois sempre dormiu tarde... Recordo-me das nossas noites trocadas, dos seus momentos depressivos que tentava se agarrar em mim e das suas confissões, era nas suas fragilidades que você mais me procurava, que mais me queria e mais me amava, era na sua solidão da madrugada na qual sua companhia presente era o cigarro e o notebook e que eu sentia você mais conectado comigo em pele e espírito. Amava te contemplar, te olhar e observar seus gestos seja qual fosse o tamanho, eu era tomada pela felicidade momentânea, meu corpo se dilatava diante de você causando excesso de euforia e tensão sem tirar o sorriso do meu rosto, era impossível controlar e era tão perceptível a causa e o efeito. Mas, eu acendo a luz, isso são memórias, não existe nós dois, não existiu e nunca vai existir, você sempre será algo incompleto na minha vida, sem início, meio ou fim..., será o homem que mais quis e menos quis na minha vida.
Você ainda vive em mim, se me balançar vai cair muita coisa só não sei dizer o que é capaz de se soltar. Eu não te esqueci, e nem sei se sou capaz desse feito, pois acredito que de alguma maneira vou cuidar de você, mas nunca será nós dois, será apenas eu e você cada um vivendo sua vida como escolheu.
Você está aqui no meu coração não porque eu quero. Você está nos meus sonhos acordados porque de alguma maneira tenho uma esperança falsa que vou te encontrar e te amar, mesmo eu sabendo que nunca será nós dois...

(Geo Feitoza)

2 comentários:

  1. Ao passar pela net encontrei seu blog, estive a ver e ler alguma postagens é um bom blog, daqueles que gostamos de visitar, e ficar mais um pouco.
    Eu também tenho um blog, Peregrino E servo, se desejar fazer uma visita
    Ficarei radiante,mas se desejar seguir, saiba que sempre retribuo seguido também o seu blog. Deixo os meus cumprimentos e saudações.
    Sou António Batalha.
    http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo elogio, nós faremos uma visita ao seu blog, sim!
      Beijos!

      Excluir